Hoje em dia é praticamente impensável viver sem meios de comunicação .
Assim ao observarmos os nossos media deparamo-nos como eles são o retratar do nosso mundo , tudo o que se passa á nossa volta é nos demonstrado ao longo da comunicação social.
Deste modo, para podermos exprimir qualquer tipo de impressão para um meio comunicativo temos que retirar o nosso próprio olhar e perceber o que se passa á nossa volta para depois o podermos transparecer e tentar convencer ou informar o receptor.
Após, alcancarmos as nossas ideias deveremos conseguir tranparecê-las para o leitor ou espectador de modo a que ele próprio possa entrar na nossa visao e retirar o nosso mundo fotográfico conseguido através do processo visionário para o qual a publicidade pode ser um meio expressivo essencial.
Por outro lado, além do meios informativos, radiofónicos ,televisivos ou escritos podemos ainda trasparecer o mundo observado numa simples tela, imprimindo a fotografia visionada em simples desenhos pintados que transportem o observador para um nascer de mil e uma ideias em que ele se sinta tão confuso que crie o seu próprio modo de observação e origine um mundo criado através da visão de outro, estimulando o brincar de ideias originadas através de outras ideias.
Em suma , para se ser um bom comunicador é imprescindivel seguir a ideia do heterónimo de Fernando Pessoa ( Alberto Caeiro ) Porque “o único sentido oculto das cousas
É elas não terem sentido oculto nenhum,
É mais estranho do que todas as estranhezas
E do que os sonhos de todos os poetas
E os pensamentos de todos os filósofos,
Que as cousas sejam realmente o que parecem ser
E não haja nada que compreender.” para que possamos continuar a viver no mundo ilusório que são os meios de comunicação.

Advertisements