Like hypermedia, immersion is a digitally enabled method for mimicking an aspect of consciousness. The arts have long been concerned with accurately reflecting private sensory perceptions. The history of each art form is replete with movements that claim this as their objective; similarly, integration has been led by the desire to combine art forms in a way that reflects our sensual apprehension of the world.

Ken Jordan, Defining Multimedia (2002), p. 5.

Tal como o hipermédia, a imersão constitui um método digital para emular um aspecto da consciência. As artes têm estado desde há muito ocupadas em refletir de forma precisa perceções sensoriais pessoais. A história de cada forma de arte está repleta de movimentos que reivindicam isso como seu objetivo; do mesmo modo, a integração tem sido conduzida pelo desejo de combinar as formas de arte de uma forma que reflete a nossa apreensão sensorial do mundo.

Ken Jordan, Defining Multimedia (2002), p. 5 [Trad. MP]

Before digital technology, our tools led us toward linear modes of expression. However, the dynamic nature of databases and telecommunications networks open up possibilities for alternative narrative structures that come closer to replicating the internal associative tendencies of the mind.

Ken Jordan, Defining Multimedia (2002), p. 5.

Antes da tecnologia digital, as nossas ferramentas conduziram-nos a modos de expressão lineares. Todavia, a natureza dinâmica das bases de dados e das redes de telecomunicações abrem a possibilidade de estruturas narrativas alternativas que se aproximam mais de uma replicação dos nexos associativos internos da mente.

Ken Jordan, Defining Multimedia (2002), p. 5 [Trad. MP]

Anúncios