O espaço pessoal de cada pessoa é algo que sempre se questionou ao longo do tempo e, nesta exposição intitulada “Boundary Functions”, apresentada em 1998 no instituto Austríaco As Elctronica, Scott Snibbe faz um estudo sobre isso mesmo. Esta demonstração, cujo título vem de uma tese escrita por Theodore Kaczynski em 1967, foi o que fez de Snibbe um dos primeiros artistas a trabalhar a projeção como forma de interatividade. Aqui, são projetadas imagens no chão, controladas por um computador, que vão mudando conforme o movimento das pessoas que interagem e andam sobre uma superfície quadrada com quatro metros em cada lado.tripolar_1transferir

Esta exposição mostra-nos que o nosso espaço pessoal existe apenas através da relação com os outros, sem que o possamos controlar. Quando apenas uma pessoa se encontra na superfície onde as linhas são projetadas nada acontece mas, quando uma segunda pessoa entra, uma linha direita aparece entre as duas pessoas. Assim que mais pessoas vão ocupando a superfície, mais linhas vão sendo criadas entre cada pessoa, e só desaparecem quando as pessoas se tocam. Estas linhas, à medida que aparecem , criam um padrão que se pode assemelhar a padrões que se podem encontrar fácilmente na natureza.boundaryfunctions_2

Na verdade, as regiões onde cada pessoa se encontra são o resultado de algo muito matemático designado por Diagrama de Voronoi, através do qual Snibbe foi capaz de tornar visivel o “espaço pessoal” de cada indivíduo. Este trata-se de um tipo de decomposição de um espaço métrico determinado pela distância entre determinados objetos que se encontram presentes nesse mesmo espaço.

Boundary Functions (1998). (n.d.). Retrieved from https://www.snibbe.com/projects/interactive/boundaryfunctions/?fbclid=IwAR3YDibDD5kJrHsBEBFtTqD9RhzeGO0J3OLlbJMdfKtCg5NnLTm4mJuXd2s

  • Lara Jean B. Torrão, 2018