Screen+Shot+2016-05-09+at+2.56.52+PM.png

 

A fotografa, escultora e artista digital Mariko Mori é transcendente na forma em como transmite as suas ideias e projetos futurísticos e visão única do mundo ao público. Um exemplo disto é o trabalho que concretizou em 2003, intitulado de Wave UFO. Wave UFO funde arte, tecnologia, arquitetura, música e ciência num só espaço. Esta estrutura em fibra de vidro e com mais de quatro metros de altura, levou espetadores de todo o mundo numa viagem inesquecível por este cosmos espiritual da mente de Mariko Mori. A instalação está construída de modo a que apenas três pessoas possam entrar numa só vez. Uma vez lá dentro, os três espetadores devem sentar-se nas cadeiras em Technogel, este material próprio molda-se de modo a ajustar-se à forma de cada pessoa sem nunca endurecer, permitindo assim que estes consigam fazer esta jornada no máximo conforto possível. Antes de entearem no Wave UFO, os participantes são equipados com elotrodos, que permitem a recolha de dados das ondas cerebrais, que serão transformados em imagens que traduzem a atividade cerebral dos participantes e que são projetadas nas telas do Wave UFO.  A atividade cerebral das pessoas é representada por duas células amorfas, cada célula, apesar de não ter uma forma constante, é apresentada como uma linha colorida, ondulada que se move em função do movimento das caras dos intervenientes, cada onda cerebral tem a sua própria cor e simboliza uma reação única.  

wave ufo.png

Imagem: espetadores sentados nas cadeiras de Technogel

Este conjunto de projeções correpondem apenas à primeira parte do vídeo de sete minutos projetados nos tetos, intitulado de ”Onda Cerebral em Tempo Real”, esta primeira parte continua a desenvolver-se em ”Mundo Conectado”. Esta parte final do projeto liga o conceito de biofeedback a um conjunto de animações da autoria de Mariko Mori. Esta fusão final é o principal obejtivo da peça de Mori. Esta pretende-nos mostrar a beleza da nossa consanguinidade, e de toda a vida ao nosso redor, estamos constantemente conectados a tudo o que existe all that exists, e sse entrelaçamento vai para sempre ter impacto nas nossas vidas. E ela faz isso, ligando várias áreas e vários tipos de arte.

Podemos então dizer que o trabalho de Mariko Mori é inédito, na forma como leva o espetador para este universo meditativo e interativo, e o obriga a refletir sobre si mesmo e sobre o seu papel no mundo, oferecendo ainda visuais incríveis do universo permitindo-o ter uma melhor noção da sua conexão com ele.