Etiquetas

ThePondMoonlight

A missão da fotografia é explicar o homem ao homem e cada um para si mesmo.

Edward J. Steichen (1879-1973), nasceu no Luxemburgo e foi um fotógrafo e pintor americano considerado como o pioneiro da fotografia como uma forma de arte.

Fotografou a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais e nos anos 30 e 40 tornou-se um dos melhores retratistas e fotógrafos de moda. Foi também o primeiro editor de fotografia das revistas Vogue e Vanity Fair. Em 1947 tornou-se director de fotografia no The Museum of Modern Art.

Steichen começou a experimentar a fotografia a cores em 1904 e foi um dos primeiros americanos a usar o autochrome ou “autocromo”, sendo este um método revolucionário de produzir cor de forma instantânea.

O uso da técnica refletiu a filosofia de Steichen, isto é, a de que a fotografia poderia ser “pictórica”. Esta técnica surgiu em 1890 e durou até aproximadamente 1920, onde os fotógrafos tentavam adequar as suas produções ao conceito de arte existente na época.

Uma fotografia pictórica refere-se a um estilo no qual o fotógrafo, de alguma maneira, manipula a imagem. Normalmente, uma fotografia pictórica parece não ter um foco muito nítido. Esta pode ser impressa em uma ou mais cores para além do preto e branco. Tendo o autor manipulado a imagem, é possível encontrar pinceladas ou outras manipulação da superfície. Para o pictorialista, tanto uma fotografia como uma pintura eram uma forma de projetar uma intenção emocional no domínio da imaginação do espetador.

A fotografia “The Pond – Moonlight”, realizada em Mamaroneck, condado de Westchester, retrata uma floresta com o seu reflexo numa lagoa, com parte da lua aparecendo no horizonte, numa abertura nas árvores, e foi uma impressão desenhada à mão por Steichen. Podemos consiserdar “The Pond Moonlight” uma raridade, pelo facto de Steichen ter produzido a imagem como uma impressão de platina, revestida com camadas de bicromato de goma aplicado manualmente com uma escova.

Steichen usou técnicas que aprendeu da pintura para alcançar os efeitos que pretendia para as suas fotografias. Estas técnicas surgiram acidentalmente, quando derrama água na lente da câmara e revira o tripé durante uma exposição. Graças a este acidenete, ele aprendeu a alcançar os tons discretos que estava à procura para obter a imagem com uma grande riqueza de tom e uma qualidade bonita, quase luminosa. Ao mesmo tempo que criava esta obra, fazia também duas outras impressões ao mesmo tempo, mas devido à mudança da natureza, estas acabaram por ganhar diferenças.

“The Pond – Moonlight” ajudou a estabelecer a fotografia como uma forma de arte. Em 2006, foi vendida uma cópia que já é considerada o segundo quadro mais caro.

 

Catarina Gouveia

Anúncios