Atualmente vivemos numa Era onde a evolução tecnológica tem vindo a digitalizar tudo o que nos rodeia: as musicas, as fotografias, os filmes, a forma de interação e expressão entre seres humanos, assim como o teatro, tornando a tecnologia, os computadores e os meios digitais serviços espontâneos da arte.

O teatro apresenta-se como uma arte que não necessita de progressos científicos ou das transformações ativas da sociedade, este adapta-se e integra a evolução dos procedimentos atualizados da narração, entendendo as novas formas de compreensão do mundo. Acabando por atrair novidades técnicas, percebendo o novo visual exigido pelo espetador, ou seja, transformando-se e ostentando um novo método digital.

play_on_earth221
Três cenas em três palcos espalhados pelo mundo, ligados pela internet. Exemplo de teatro digital na ‘Play On Earth’, da Phila 7 e Station House Opera, 2008. Crédito: Marcelo de Souza/Divulgação

A utilização de recursos técnicos digitais é vista como uma ampliação da capacidade de expressão artística nas diversas dimensões do Teatro Digital. Rompendo com as montagens convencionais, este refere-se a uma linguagem binária que possibilita a criação de espaços virtuais, ligações do orgânico com o inorgânico, do material para virtual, do quotidiano para fantástico, do sonho à concretização. Conseguindo alargar e recriar a expressão artística da interpretação de uma historia ou atividades que o ator, ou conjunto de atores, está a apresentar ao público, desenvolvendo sensações reais.

A multimédia no teatro aparece como modo de dinamização da ação, mesmo sendo que acaba por ser desconsiderada por alguns. Estes defendem que os artifícios digitais prejudicam a envolvência real do teatro e a sua sensibilidade quer para os atores, quer para o público. O teatro digital em vez de considerar o tempo real ou a temporalidade dos eventos, como acontece no teatro convencional, diz respeito às interações das pessoas (audiência e atores) que compartilham o mesmo espaço físico, tendo como objetivo a interação corporal e não só emocional por parte do público na peça.

Em suma, o teatro Digital é uma forma de arte hibrida, que com o avançar dos tempos foi ganhando cada vez mais força pois facilita a imaginação e a criação de conexões entre seres humanos. Sendo que podemos referir que existem já vários grupos de teatro que se dedicam a esta nova forma de teatro em Portugal e no mundo, o que faz com que esta arte evolua constantemente.

Joana Moreira Mota