Para desenhar o contexto da arqueologia da arte multimédia, foram essenciais os contributos teóricos e práticos de vários autores. Em 1965, já na sequência da emergência das vanguardas do início do século XX, Dick Higgins, em Intermedia, explicita a aceção do conceito de intermédia, relacionando-o com a arte. Neste sentido, a arte intermédia pauta-se pela inclusão e implicação de vários meios e formas de arte (como a música, a dança, o teatro, as artes plásticas, a projeção de vídeo, … ) que concorrem para a formação de um objeto artístico. As práticas intermédia originaram vários géneros de criação próprios, como a Mail Art, a Performance Art, o Dance Theatre, entre outros.

Um exemplo de conceção artística intermédia é, sem dúvida, o conjunto de colaborações estabelecidas entre o coreógrafo Merce Cunningham e diversos outros artistas que protagonizaram os movimentos vanguardistas do início do século XX. Rainforest (1968) resulta de uma convergência entre dança, música e artes plásticas, possibilitada pela implicação de vários artistas: Cunningham no que diz respeito à coreografia, David Tudor no campo da música, e Andy Warhol na vertente das artes visuais. O cenário envolvente desta performance é constituído por um conjunto de almofadas prateadas, que flutuam no ar (são insufladas com hélio), e que são fruto de uma instalação concebida dois anos antes por Andy Warhol (Silver Clouds).

clouds

Silver Clouds, Andy Warhol (1966)

Os figurinos dos bailarinos são nada mais nada menos do que maillots e collants cor de pele, nos quais são visíveis rasgões feitos por lâminas e por tesouras. A intencionalidade inerente a esta configuração visual do guarda-roupa, bem como à géstica coreográfica de Rainforest, prende-se com o facto de Cunningham pretender explorar a ideia de primitividade e até de selvajaria, conceitos que concorrem para a formação do “reino animal” retratado na obra, e que o coreógrafo considera intrínsecos à essência humana. Nesta coreografia de Merce Cunningham existem, no total, seis bailarinos (três homens e três mulheres), que criam dinâmicas de movimento através de entradas e saídas de cena alternadas (os bailarinos nunca se encontram todos, em simultâneo, no palco).

Podemos, deste modo, concluir que Rainforest apresenta as características apontadas por Dick Higgins na descrição de arte intermédia, sendo, por isso, passível de ser considerada antecessora da arte multimédia. Trata-se de uma obra que não pressupõe uma linearidade narrativa, e onde é visível a integração de várias artes, possibilitada pelo trabalho colaborativo estabelecido entre os artistas implicados.

Bibliografia / Webgrafia

Higgins, Dick (1965). “Intermedia”, published in Something Else Newsletter 1, No. 1, Something Else Press, 1966. Also published as a chapter in Dick Higgins, Horizons: The Poetics and Theory of the Intermedia, Carbondale, IL: Southern Illinois University Press, 1984.

http://www.mercecunningham.org/index.cfm/choreography/dancedetail/params/work_ID/90/ . Acesso em: 3 de dezembro de 2016

 

Joana Maia