A era da automação vem consumar aquilo que podemos designar como a terceira revolução industrial. Em “Semiotics of the Kitchen”, Martha Rosler põe, de forma inconsciente, em prática o termo intermédia. No sentido, em que converge a performance ou happening com o vídeo. Dick Higgins, em “Intermedia”(1984), responde à pergunta “o que é intermedia?” com outra questão, de forma a demonstrar de que forma no nosso quotidiano o termo intervém: “what that i know this new work lie between?”. Ou seja, o terminante surge como uma forma de ajudar a compreender a obra e a significância da mesma, por parte de um artista e não como um movimento, que poderá mais uma vez criar limites na criação de formas de expressão.

A vídeo arte, como todas as artes engloba vertentes, como a vídeo-instalação, vídeo texto, videoclip, mas o nosso foco reverte para a vídeo-performance, realizada por Rosler em 1975, época de prosperidade económica e social no Norte da América. O inter-meio da época é o sistema eletrónico televisivo, que se torna um “eletrodoméstico” fundamental na vivência dos americanos. A vídeo arte nasce em parte como crítica a este apego obsessivo ao meio televisivo, que vem fundar a sociedade consumista dos dias de hoje.

Os tipo de valores e comportamentos a tomar em conta como adequados, passam de salões de nobreza para o ecrã televisivo, e desta forma se encontra extremamente padronizada a sociedade americana na segunda metade do século XX. Martha como jovem artista assume como seu papel, a tentativa de quebrar tais padrões, centrando-se principalmente no estatuto da mulher e numa linguagem que a oprime e oprimiu emr todo o curso da história, como procriadora e doméstica e não como um ser, “IGUAL AO HOMEM”, com liberdade de escolha e direitos! Criticando não só a programação excessiva de shows que educam a mulher a ser ou como se tornar a perfeita dona de casa, ridicularizando, de forma agressiva a inutilidade e grande variedade de utensílios de cozinha e transparecendo a realidade monótona das tarefas domésticas.

Verónica Alves, Estudos Artísticos