Isaac Asimov foi um autor americano e professor de bioquímica na Universidade de Boston. Este é reconhecido como um mestre da ficção científica hard como foi considerado um dos “Big Three” escritores de ficção científica. Escrita em 1956, The Last Question é uma das suas short storys mais conhecida e reputada mundialmente. Esta proporciona como realça pensamentos profundos que considero intrínsecos ao Homem sobre os limites do próprio universo e toda a existência que este alberga. A estória lida com o desenvolvimento da tecnologia (Multivac) em relação à evolução humana através do curso de sete estórias. Tem início em 2061 com uma aposta movida a álcool entre dois técnicos que se encarregam do multivac, sobre a possibilidade de reverter a entropia do universo e assim a ameaça à existência humana. Durante as cinco seguintes estórias a mesma questão é feita por personagens diferentes, de tempos e espaços distintos, existindo apenas uma resposta “Dados insuficientes para resposta significativa”.

Aqui o autor retracta uma suposta simbiose, em futuros distantes, entre o Homem e a tecnologia concluindo numa convergência onde já não é possível diferenciar a humanidade da tecnologia. Asimov teve a capacidade de deduzir a tendência de centralização da própria tecnologia e como o Homem iria beneficiar desta, fazendo do universo uma vasta rede gerida pela união do Homem (este que já não acarreta um corpo físico) e a tecnologia (que juntamente com toda a humanidade se estende por todo o universo).

A sua conclusão remete o leitor para o tempo em que todas as estrelas perdem a sua energia. AC (automatic computer) evolução do multivac que se uniu com toda a humanidade, ainda é incapaz de responder, mas continua a reflectir sobre a questão. Eventualmente descobre a resposta mas não tem ninguém para o denunciar, pois o universo já está morto. Decide então responder com uma demonstração.

http://www.multivax.com/last_question.html

Gabriel Salgado