A possibilidade de viagem no espaço e até no tempo, sem sair do lugar, tem vindo a tornar-se cada vez mais possível. As inovações tecnológicas que surgem quase diariamente têm uma possibilidade ilimitada e chegam às mais variadas matérias. Esta maravilha tecnológica tem assim os meios para se juntar a áreas como as artes e as viagens e criar mundos tecnológicos imensos.

Na junção da imagem fotográfica em 360º e a pintura, criou-se uma representação digital de um espaço turístico e artístico dos mais visitados no mundo, a Capela Sistina. Aqui, o individuo é colocado no centro do espaço e com uns simples indicadores tem a capacidade de ver em toda a volta, ver o chão e o tecto. Tem portanto a capacidade de fazer todos os movimentos que seriam usados no espaço físico. Esta ferramenta torna-se excepcional para visualizar um espaço de um modo mais detalhado, sem limites de tempo e até de uma forma mais aproximada, principalmente nos pontos mais altos, que no caso de uma visita ao espaço físico não seria possível. Somente existem cinco modos de navegação (virar para cima, baixo, esquerda, direita e zoom) o que torna a experiência mais simples, contudo, o uso do cursor por vezes torna-se desafiadora, funcionando de forma mais intuitiva com o teclado do computador (setas e tecla A para aproximar e tecla Z para afastar).

Desta forma, com muita comodidade o individuo tem a capacidade de visitar um espaço, sem necessitar de pagar, que não seria possível se a tecnologia do mundo digital não o permitisse. Esta imagem em 360º possibilita também a visita a cidades, ruas, museus, entre outros.

http://www.vatican.va/various/cappelle/sistina_vr/index.html