Nos últimos séculos o grupo das mais variadas artes têm vindo a ser reorganizadas e numeradas, com o objectivo de melhor entender o mundo as artes. Actualmente a lista compõe-se como: Música, Dança, Pintura, Escultura e Arquitectura, Teatro, Literatura, Cinema, Fotografia, Banda Desenhada, Vídeo Jogos, Arte Digital.

Friedrich Kittler foi um teórico dos média, que definiu uma distinção bastante explicita entre as belas artes, sete de entre o grupo de onze- pintura, escultura, arquitetura, literatura, teatro, música e dança- e os média automáticos- fotografia, fonografia, cinema, rádio, televisão e computador- de entre os quais, quatro são considerados arte na lista numerada.

A distinção entre a Inscrição Simbólica e a Inscrição Física do Real por vezes pode ser pouco clara, muito devido ao facto de todas estas artes e estes meios se interligarem e se apoiarem uns nos outros. Como um destes exemplos temos o cinema de animação, criado no início do século passado nos Estados Unidos da América. Uma das primeiras imagens animadas a serem criadas foi um rato que mais tarde iria ser a imagem da Walt Disney.

Num âmbito mais geral, o cinema de animação é criado através da mão humana, fazendo uma imagem base que depois vai sofrendo pequenas alterações. A junção de todas as figuras e a sua reprodução a uma velocidade de cerca de 16 fotogramas por segundo leva a que o olho humano capte movimento. Porém, aquilo que o olho vê não é movimento, mas sim uma ilusão. Desta forma, o cinema de animação é feito por mão humana, através das mais variadas tecnologias, tornando-se, assim, uma arte que serve um propósito. É nestes dois aspectos que se pode afirmar que existe tanto a Inscrição Simbólica – no aspecto da obra de arte- como a Inscrição Física do Real – em tecnologias como a fotografia, o computador e o cinema.