O Google Art Project é uma base de dados virtual que reúne obras de arte de todo o mundo e que renova o conceito de Street View presente no Google Maps, permitindo que os seus utilizadores visitem museus virtualmente. Além destas visitas digitais em 3D, a possibilidade de interação é grande, uma vez que o Google Art Project permite que os seus usuários contribuam com as suas próprias coleções.

Este projeto multimédia é o resultado de centenas de parecerias com museus e associa o conceito de arte tradicional ao meio tecnológico, reproduzindo objetos artísticos em alta resolução. Enquanto visitamos os museus que se encontram na plataforma, podemos recorrer a ferramentas como o Zoom e temos à nossa disposição todo o tipo de informações relevantes sobre os objetos artísticos presentes nos espaços reproduzidos pelo Google. Os criadores da base de dados afirmam que esta é uma forma dos espaços se promoverem e atraírem clientes.

Bem longe daquilo que Richard Wagner com a sua visão utópica poderia imaginar quando escreve “A obra de arte no futuro” (1851), o Google Art Project não surpreende no contexto artístico do Séc. XXI. No entanto não deixa de se traduzir numa forma de arte multimédia bastante interessante e útil, que se apresenta como um meio de aprendizagem inovador, para estudantes, professores ou qualquer um que se interesse por arte. Durante os últimos anos têm sido muitos os museus a associarem-se à plataforma que conta, neste momento, com 686 coleções sendo que o maior aglomerado se concentra na Europa.