Etiquetas

, , ,

De modo a continuar um assunto explorado em aula, decidi analisar neste breve texto a imersividade em videojogos e como ela é conseguida, com uma pequena particularidade: o Oculus Rift.

Os videojogos são, por si só, bastante imersivos para quem está a jogar, especialmente se a pessoa gostar do videojogo em questão. O principal motivo que permite que isto aconteça é o facto de o videojogo requerer a interação do jogador. Ao contrário do cinema, da música ou da fotografia, por exemplo, que são formas de artes que tornam o espetador/ouvinte passivo, na medida em que ele não pode mudar aquilo que está a ver/ouvir, os videojogos só funcionam se o jogador interagir. Caso contrário, ele estará sempre retido no primeiro nível e nunca concluirá o dito videojogo. Por causa desta interação, o jogador inevitavelmente acabará por se sentir dentro daquele universo, e portanto, imerso.

b791c4f9e36a0868a15d734ed3f16c026078aa83-horz

Notável melhoramento dos gráficos em videojogos

É claro que, com a evolução que a indústria dos videojogos está a ter, e com o melhoramento dos gráficos e dos efeitos sonoros, que é possível notar nos seus produtos, esta imersividade vai sendo cada vez maior. Contudo, tem sido desenvolvido nos últimos anos um aparelho que quer, e consegue, levar esta imersividade mais longe: o Oculus Rift. Nunca tive a oportunidade de o experimentar mas observando as reações de pessoas ao Oculus, é fácil perceber que este é, sem dúvida, um aparelho inovador e que vem alterar a experiência de jogar um videojogo. O Oculus Rift é essencialmente um aparelho de realidade virtual para videojogos. Contém um sensor de movimentos e portanto, a imagem que o utilizador vê através do Oculus vai movendo-se conforme os movimentos que ele faz com a cabeça. Ao utilizar o Oculus Rift, o utilizador ficará com a sensação de que entrou, fisicamente, num outro universo, e que é ele o personagem principal desse mundo. A versão de consumidor deste aparelho, ainda por lançar, contará com sensores que detetam os movimentos da cabeça, a posição do utilizador, resolução HD e ainda auscultadores integrados, proporcionando, desta forma, uma melhor experiência tridimensional para o utilizador.

Oculus Rift

Oculus Rift

Para exemplificar da melhor maneira possível a sensação que os utilizadores têm ao usar o Oculus, acredito que não há nada melhor do que ver algumas reacções-vídeo.

O primeiro exemplo mostra a primeira experiência que uma famosa celebridade do Youtube, PewDiePie (Felix Kjellberg), teve com o Oculus Rift:

Num segundo exemplo, temos um grupo de pessoas da terceira idade que contacta pela primeira vez com o Oculus Rift e tem oportunidade de o experimentar em três jogos diferentes:

No último exemplo é possível assistirmos às reações de um grupo de adolescentes enquanto jogam um videojogo de suspense e terror com o Oculus Rift:

Penso que esta invenção é verdadeiramente incrível na medida em que, se não nos limitarmos ao universo dos videojogos, este aparelho poderá ser utilizado em contextos completamente diferentes e com uma função bem mais importante do que o de proporcionar uma sensação de imersividade. Seja como for, é bom ver barreiras a serem quebradas. Quem sabe se no futuro a próxima barreira não estará ligada ao sentido do gosto ou do tacto? Vamos ter de esperar para ver.

Filipa Machado