No século XV descobriu-se o que inconscientemente sempre se desejou: a perspectiva. Esta característica da pintura renascentista mudou por completo as convenções artísticas. Este foi o momento em que os pintores puderam recriar numa tela de duas dimensões, um espaço ilusório correspondente à terceira dimensão. Com isto, as representações passaram a ser o mais semelhante possível à visão e percepção do olho humano.

Durante quatro séculos a representação pictórica levou tão a sério a perspectiva, que ficou obcecada pelo real. Cingindo-se só a esta corrente, quase como se estivesse em estanque. Segundo André Bazin em “Ontologia da Imagem Fotográfica”, a pintura só se libertou do real com o aparecimento da fotografia no século XIX. Pois a partir daqui a pintura ganhou consciência e reconheceu que o real é mais forte e fidedigno na fotografia.

Esta noção permitiu que a pintura substituí-se as “formas tradicionais” por algo novo e explorável, em direcção ao progresso. E desta filosofia surgiu o modernismo, que rompeu com os códigos, a perspectiva e com o conceito de real e belo.

O modernismo foi alvo das artes em geral, mas provocou grande impacto na pintura. Em Portugal, um dos pintores que pertenceu à primeira geração desta vanguarda foi Amadeu Sousa Cardoso. A sua pintura estabelece um forte diálogo com movimentos como o cubismo, futurismo e expressionismo. A sua obra é marcada por paisagens eróticas, elegância, mistério, emoção e simbolismo. Contém elementos geométricos caligráficos. As linhas curvas e vivas dos seus quadros levam-nos para uma dimensão de acção, movimento e extrema dinâmica.

800px-Amadeo_de_Souza-Cardoso-3

Cozinha da Casa de Manhufe, c. 1913, óleo sobre madeira, 29,2 x 49,6 cm

Eduardo Mota digitalizou

Título desconhecido (Les Cavaliers), c.1913, óleo sobre tela, 100 x 100 cm

474px-Amadeo_de_Souza-Cardoso,_Untitled_(Coty),_1917,_oil_and_collage_on_canvas,_94_x_76_cm

Título desconhecido (Coty), c. 1917, óleo sobre tela com colagem de materiais inertes (areia e cola?) e outros materiais (pedaços de espelhos, vidros, ganchos, um colar de missangas e papel), 94 x 76 cm

594px-Cardoso10

Título desconhecido, c. 1917, óleo sobre tela com colagem pontual e localizada de outros materiais (fósforos de cera, madeira), 93,5 x 93,5 cm