A vontade de integrar os média no meio artístico não é recente. Já Marinetti, criador do futurismo italiano, mostrou o seu interesse pelos média como a rádio, pela possibilidade de fazer chegar as suas ideias a mais pessoas e num período de tempo mais reduzido.

Com o passar dos anos, com o desenvolvimento da tecnologia e com o consequente aumento da importância destes meios na vida pública e privada, os média acabaram mesmo por se integrar nas artes transformando o meio artístico e muitas vezes criando novas categorias, como é o caso da vídeo arte.

Assim, o objecto artístico deixou de ter tanta importância em termos de materialidade, e uma série de novos artistas começaram a trabalhar novas ideias, não se limitando às artes visuais como a pintura, escultura, etc (que se podem comprar) para se estrearem em artes como a performance, onde não existe a ideia de apropriação por parte do espectador.

Este desenvolvimento foi muito importante, na medida em que nos dias de hoje se pode dizer que toda a população tem acesso à arte através dos diversos meios como a rádio, televisão, internet, etc. No entanto, é necessário salientar que o contacto que temos com uma obra de arte através destes meios não equivale ao contacto directo que podemos ter com ela. Existem imensas características e elementos da obra que podem não ser visíveis e que podem ser importantes para a apreciação da mesma na sua totalidade.

Jéssica Pestana