O vídeo mapping é uma técnica de projecção artística recente. Esta possuí aptidão de projectar vídeo até 360º, em áreas e objectos assimétricos, tendo preferência por fachadas de edifícios e estátuas de grandes dimensões.

Geralmente esta técnica narrativa resulta da junção de vídeo com som. É criado um software especializado com o objectivo de transformar a imagem de duas ou três dimensões em formato virtual, que ao interagir com o projector possuí a capacidade de adaptar a imagem a qualquer tipo de superfície.

Aqui acaba por haver uma transformação do espaço real, que é modificado pela junção do espaço virtual ao já existente. Esta técnica permite que os artistas possam criar dimensões ilusórias e ópticas, assim como noções de movimento a matéria imóvel.

O vídeo mapping acontece da combinação de práticas artísticas tradicionais, tais como vídeo; animação; fotografia; música, sendo estas associadas às linhas de código de programação, que permite que a constituição da imagem seja alterada e transformada. Aqui a junção deste tipo de matéria dá origem a um novo meio artístico, resultado da multimédia.

Deixo aqui um vídeo do Festival de Mapping do Museu de Arte e História de Geneve (2013), para mostrar o que é vídeo mapping.