Após muitas ideias ocorridas para o trabalho, a última escolha virou-se para a vídeo arte, com uma predilecção pelo artista Coreano Nam June Paik, chamado o pai da vídeo arte. Nam June Paik ficou conhecido por declarações polémicas. “A arte é pura fraude”, afirmou certa vez. “Só precisa fazer algo que ninguém tenha feito antes”. A frase foi dita a um jornal coreano e foi premiado com a Medalha Picasso pela UNESCO. Foi por ser controverso, que escolhemos este artista para falar no nosso trabalho. Depois da apresentação desse mesmo trabalho em aula,  venho aqui recapitular as origens, influencias e anos importantes que formaram a vida do vídeo artista Nam June Paik:

Nasceu em Seul, na Coreia do Sul em 1932. Era o mais novo de quatro irmãos, filho de um operário têxtil. Depois da sua família fugir a guerra da Coreia em 1950 e de se ter instalado em Hong Kong e depois no Japão, Seis anos mais tarde, graduou-se na Universidade de Tóquio, em história da arte e história da música, com uma tese sobre Arnold Schoenberg. Mudou-se naquele ano para a Alemanha para continuar os seus estudos de história da música na Universidade de Munique. Enquanto estudava na Alemanha, Paik conheceu os compositores Karlheinz Stockhausen e John Cage, assim como os artistas conceituais Joseph Beuys e Wolf Vostell. Após conhecê-los, Paik inspirou-se para trabalhar na arte electrónica. Paik trabalhou com Stockhausen e Cage em um estúdio de música electrónica e começou a participar de um movimento de arte neo-dadaísta conhecido por Fluxus, inspirado pelo compositor John Cage e pelo uso de sons e barulhos cotidianos nas suas músicas. Paik fez sua grande estreia em uma exibição conhecida por “Exposition of Music-Electronic Television”, no qual espalhou televisores em todos os lugares e utilizou ímãs para alterar ou distorcer as imagens. A obra, conhecida por “TV Magnet”, deu origem à videoarte. Essa obra foi descrita mais detalhadamente em apresentação na aula.

Paik mudou-se para Nova Iorque em 1964 e começou a trabalhar com a violoncelista clássica Charlotte Moorman, para combinar vídeo, música e performance. No trabalho TV Cello, a dupla empilhou televisores uns sobre os outros, de modo a adquirir o formato de um violoncelo. Quando Moorman começou a tocar, imagens dela e de outros violoncelistas a tocar apareceram nas telas. Em 1965: a Sony introduziu no mercado o Portapak, o primeiro dispositivo portátil de gravação de vídeo, a maior “arma” de Paik. Com ele, Paik pôde mover e gravar coisas simultaneamente, e a partir de então, Paik ficou conhecido internacionalmente por seus trabalhos criativos e divertidos. 1967, em um incidente notório, Charlotte Moorman foi presa por praticar topless enquanto fazia performance na “Opera Sextronique” de Paik. Dois anos mais tarde, em 1969, executaram “TV Bra for Living Sculpture”, no qual Charlotte vestiu um sutiã com pequenas telas de televisão sobre seus seios. Por fim, Nam June Paik morreu em 29 de janeiro de 2006, na sua casa em Miami, Flórida, aos 73 anos, de causas naturais.

 Luiza Fernandes.