Merce Cunningham – Beach birds for camera (1991)

Duração: 28 minutos

Coreografia: Merce Cunningham

Direção: Elliot Caplan

Música: John Cage, Four3

Costumes: Marsha Skinner

Beach Birds for Camera é uma adaptação de uma obra de dança originalmente feito para o palco. Este filme combina diferentes locais de filmagem, filme preto e branco e cor, e som Dolby stereo para apresentar dança através do meio visual – o filme.

Merce Cunningham nessse trabalho aponta a dança atrvés d um viés totalemte inovador para a época: à dança para a câmera baseada em movimentos de pássaros. Temos aqui duas rupturas, a primeira é basear a dança em nos movimentos dos pássaros, ou seja, sem uma narrativa ou explicação plausível – o movimento pelo movimento. A segunda seria fazer a interseção da dança com um dispositivo eletrônico especifico, acrescentando-lhe novos aspectos.

A primeira filmagem aconteceu em Nova York no ano de 1991, em duas configurações diferentes: Kaufman Astoria Studios –  filmada em preto-e-branco – e Industria Superstudio  – filmada em cor.

O figurino de Martha Skinner realça os movimentos dos braços: do peito até a ponta dos dedos a malha é preta e o resto (tronco e membros inferiores) é branco. É clara a intenção metafórica presente nas colorações: os membros suepriores destacados seriam como as asas.

A dança é embalada por Four3, uma escrita por John Cage; Vexations de Erik Satie foi jogado em dois pianos, um na sala e outro fora, e um violino tocando. Os músicos adicionado à qualidade etérea da sonoridade tocando rainsticks. À medida que a peça avança, há alguns momentos de sincronização completa dos movimentos dos bailarinos com a melodia. Por isso, Cunnihgam usa diferentes focos através dos agrupamentos dos corpos em diferentes ritmos.

A câmera não mantém uma posição fixa, e está sempre a convidar o espectador a participar do espetáculo, experimentar o vários focos no palco ao contrário dos grandes e tradicionais Ballets. Em sua coreografia o proscênio já não é o ponto mais importante dentro da estrutura estético-física da coreografia. Segundo Cunningham o uso da câmara dá “flexibilidade para o espaço e, por sua vez para o tempo em que a peça tem lugar.” Faz ainda outra afirmação sobre a mesma obra: “É tudo baseado no fraseado físico individual. Os bailarinos não tem que ser exatamente juntos. Eles podem dançar como um bando de pássaros, quando de repente decolar.”

A ambição e o interesse de Cunningham pela dança em interação com os médias sempre esteve presente, mesmo nos tempos mais remotos da evolução tecnológica. Foi pioneiro em muitos aspectos da dança moderna e ainda hoje se faz muito presente e atual em diversos espetáculos da nossa geração. Alguns dizem que ele foi o primeiro a intriduzia a video-dança. Mas essa seria outra discussão.