Como definir uma arte multimédia? Friedrich Kittler explica sobre a distinção entre artes tradicionais como a dança, o teatro, as artes visuais como sendo artes que não se utilizam de inscrição físico-química para fixar a representação do real ao contrário dos médias automáticos como a fotografia e o cinema. Definição de fácil assimilação: distinguir pelas diferenças, o que pode parecer pouco elaborado são as questões que sucedem a essa perspectiva. Como eu classifico a simbiose ou a relação disso? A questão de qualificar, categorizar, classificar o que a partir dessa interação entre as inscrições é arte é complexo, nem tudo que mexe é dança, assim nem tudo que é filmado ou fotografado é arte. Não é porque essas formas de inscrição se relacionam que temos arte como resultado. Antes de tentar elaborar respostas plausíveis a essas questões atuais que se fazem presente, temos outras que nos parecem inevitáveis de se tocar, como por exemplo o que é dança? Onde estão os limites entre as artes e entre os médias e as artes. Uma apresentação de um vídeo de dança pode ser considerada dança? Não deixa de ser, isso é fácil de verificar, desde que consigamos perceber movimentos em um ou mais corpos, podemos facilmente constatar a presença da dança. Porém se pode haver manipulação através da utilização dos recursos disponíveis como a desaceleração das imagens, escolha do ponto de vista dado pela câmara, close (que é um enquadramento mais fechado, que mostra uma parte do objeto filmado) que seria impossível a olho nu, já não temos mais a dança em si, a relação entre o espectador e a arte mudou, foi mediada, passou a ser um outro tipo de representação artística. Talvez a vídeo-dança, quem sabe ao certo? Temos de concordar; vivemos uma época de boas perguntas e poucas boas respostas.

Fernanda Andrade