Através dos multimédia a expressão artística tem evoluído em complexidade e, por facilitação do suporte digital, tornou-se mais abrangente e difundida. Encontramos, portanto, diversos meios artísticos com os quais nos relacionamos frequentemente através dos média.

Escolhi expôr um tema que é sobrevalorizado e não é pensado neste contexto. Videojogos.

Os videojogos criam espaços que não temos na vida real e devem ser encarados não só como objectos de entretenimento puro mas sim como uma expressão artística bastante articulada. Criando espaços onde podemos estar virtualmente, este meio de diversão dá-nos a possibilidade de interagir com propriedades físicas semelhantes às que conhecemos no real. Falando um pouco de arquitectura, podemos então participar na “arte” no espaço e não somos meramente espectadores. Somos levados a uma nova dimensão e interagimos com elementos pensados e trabalhados que são levados ao extremo.

Através da fotografia e do desenho, as grandes equipas de artistas criam espaços novos com base na arte existente mas elevado quase ao limite pela plasticidade do mundo virtual em que tudo pode ser construído e transformado sem os entraves do mundo físico real.

Há qualquer coisa de fascinante e misterioso no mundo dos videojogos, a prova disso é que cada vez mais pessoas gostam de os jogar. Hoje com a evolução tecnológica a realidade virtual destes jogos tornou-se ainda mais bela, com artistas a criarem histórias, personagens ou Universos que superam qualquer obra cinematográfica…

A arte adapta-se e acompanha a evolução dos tempos, não se deixando abalar. Nos videojogos a expressão artística funde-se evolutivamente com a tecnologia.

Daniela Silva