De que forma pode o modo de recepção de uma mensagem modificar a sua percepção? Se pensarmos o corpo do ser humano como uma máquina multimédia entre o mundo exterior e o nosso cérebro, percebemos que os nossos sentidos são as guias da informação. É evidente a sobrevalorização dada à audição e principalmente à visão, mas todos eles fazem a comunicação entre o individuo e o mundo.

Quando pensamos formas de arte como a literatura, uma arte das palavras, esta pode ser escrita ou transmitida oralmente, o que faz com que a sua entrada no eu, seja feita pela visão ou pela audição. No entanto, se o texto for escrito em braille, será o tacto o responsável pela sua percepção. Teremos então uma interpretação diferente de um texto lido visualmente em relação a um que é sentido pelo tacto?

Pensando ainda, que o mesmo texto pode ser lido e ouvido ao mesmo tempo, ou que podemos ver quem o está a ler e perceber assim as suas expressões faciais, terá este um significado diferente? E no caso de um cego? Como recebe ele a informação? Indo ao extremo e analisando o pensamento como algo que funciona por palavras, como pensa um surdo que nunca as conheceu? Organizará os seus pensamentos de forma diferente?

Se somos o que nos rodeia, a forma como o recebemos faz também parte da nossa construção pessoal. Recebemos agora a informação, condicionados pelas nossas memórias e experiências, o que faz com que seja interpretada de forma diferente de pessoa para pessoa. Como escutamos uma mensagem, tendo já visto alguém a transmiti-la? Cria-se uma imagem de memória da pessoa que a transmitiu tal como a vimos anteriormente? Conseguimos imaginá-la a ser dita por outro?

Quando estamos a estudar algo como os sentidos do ser humano nunca podemos fazer afirmações concretas. O que é verdade para mim pode não o ser para outro. A forma como sentimos e recebemos o mundo à nossa volta depende de cada um, mas podemos afirmar que a mesma mensagem, apreendida por diferentes sentidos terá interpretações diferentes.

                                         Emanuel Taborda